Discografia #7 - Rise Against


  Uma banda punk engajada no combate a problemas políticos e sociais, formada em 1999 em Chicago, Illinois. O vocalista, Tim McIlrath, tem um olho castanho e outro azul, e todos os membros são vegetarianos, abstêmios e ativistas em defesa dos direitos dos animais. Assim como tantos outros fãs, conheci a banda ao pesquisar sobre a quase homônima Rage Against the Machine. Acabei gostando mais de Rise Against do que da banda que compunha minha pesquisa original, sendo que hoje ela figura entre uma das minhas favoritas.

  Já há algum tempo que eu queria dedicar um Discografia ao Rise Against... Essa é uma banda que fui conhecendo aos poucos, me deleitando gradualmente com cada nova música ouvida. Meu primeiro contato foi por volta de 2008, com Swing Life Away e Give It All; e só depois de muito tempo passei a procurar outras músicas deles. Acabei encontrando não só uma ou outra, mas álbuns inteiros repletos de muita música boa. Um destes foi Appeal to Reason.

1. SAVIOR
Para apresentar o estilo do Rise Against, preciso começar a lista por Savior. Um dos maiores sucessos da banda - que, por acaso, faz parte de Appeal to Reason - e, segundo o Last.fm, a música que mais ouvi em 2014. Não chega a ser a minha música favorita, mas o ritmo rápido e característico da banda faz dela a melhor maneira pela qual eu poderia iniciar esse post.


2. PRAYER OF THE REFUGEE
Simplesmente a melhor música do melhor álbum. The Sufferer & The Witness, de 2006, trás 13 músicas incríveis e já deixa bem mais claro o fundo moral das composições da banda. Em Prayer of the Refugee, por exemplo, existem críticas ao capitalismo e às políticas internacionais que geram refugiados nos EUA.


3. GIVE IT ALL
Foi a segunda música que conheci deles. A última antes do hiato de quase quatro anos sem ouvir nada novo da banda. Junto com Swing Life Away, que é bem mais melosinha, (comparáveis aos lançamentos Tragedy + Time e The Black Market - que não são ruins; na verdade, só mostram como a banda consegue ser versátil); Give It All ficou esquecida no meu WMP. Ela trás o ritmo ligeiro e bem característico do punk rock, assim como todo o álbum em que está inserida - Siren Song of the Counter Culture, de 2004.


4. HERO OF WAR
Essa é a minha favorita. Ela também faz parte do álbum Appeal to Reason, de 2008; mas não é tão rápida quanto às demais canções. Confesso que ela me enjoa com mais facilidade, mas quando a pego pra escutar de novo, ela sempre me surpreende. Trata-se de uma crítica às guerras e à destruição causada por elas. Tanto a destruição dos escrúpulos morais dos soldados, quanto do patriotismo vigente e das pessoas inocentes que acabam se envolvendo nos conflitos.


5. HELP IS ON THE WAY
Essa música, de 2011, ao invés de criticar organizações ou políticas, revela uma outra faceta da banda: a solidariedade. Assim como também pode ser observado na música (um pouco mais famosa, inclusive) Make It Stop, do mesmo álbum de Help Is On The Way. O clipe abaixo retrata a inspiração do vocalista para compor a música: famílias afetadas pelo furacão Katrina - ocorrido em 2005 - e que sofrem com seus efeitos até hoje.


Faixa Extra. INJECTION
Me senti obrigado a colocar mais uma música do meu álbum favorito, The Sufferer & The Witness, para que o post fique completo. Encarem como um incentivo extra para escutar mais músicas do Rise Against. Escutem esse álbum inteiro, o novo álbum, The Black Market, de 2014; a clássica Swing Life Away, que não arranjei espaço para inserir aqui e a Re-education, uma das músicas com o melhor instrumental que eles já gravaram.



4 comentários :

  1. Oi, Arthur!
    Adorei a dica. Eu tenho a impressão que nossos gostos musicais são parecidos. Já conhecia Rise Against the Machine, mas Rise Against é novidade pra mim. Amei o clipe de Hero of War.

    http://livrodeunicornios.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Julia! Não sabia que você voltou a postar. Fico feliz. ^^
    Quanto à banda, eu diria que ela está no meu top 5 de favoritas, mas não sei exatamente em que colocação; até porquê esses cinco lugares são bem instáveis...
    Já que você gostou, lhe recomendo que escute The Sufferer & The Witness (sei que eu já falei muito isso no post, mas trata-se, provavelmente, do meu segundo álbum punk favorito, perdendo apenas pro International Superhits!, do Green Day).
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Nunca conheci muuuito de Rise Against, mas eu ouvia bastante quando adolescente. Fazia um tempão que não ouvia. E por incrível que pareça eu conheci Rise Against antes de RATM, que eu também gosto, aliás hahaha Mas antes delas ainda conheci Audioslave, que é boa demais. Curte?
    Mais posts de bandas, principalmente punks, por favor hahahah

    http://sobrelivroseletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu conheci Rise Against e RATM mais ou menos na mesma época... Ouvi só algumas músicas dessa segunda antes de ir pesquisar e me esbarrar na primeira. Não sei se escrevi "Rage" errado, ou se foi só "Rage Against", por preguiça; mas a confusão aconteceu e eu acabei saindo no lucro. Hahaha.
    Quanto ao Audioslave, eu também curto bastante, mas confesso que não conheço muito... Ei! Porque você não faz um Playlist sobre eles? XD Pode acabar me indicando músicas boas que eu não conheço.
    E pode deixar, cerca de 60% de tudo o que eu ouço atualmente é punk, então os próximos posts certamente terão um ritmo dominante.
    Abraço!

    ResponderExcluir

DiscoDiVinil © 2012-2016 | Versão 3.0 | Todos os direitos reservados

Projetado e editado por Arthur Dias

Tecnologia do Blogger

http://i65.tinypic.com/j9ob41.png