Resenha #9 - A Esperança


TÍTULO: A Esperança

AUTORA: Suzanne Collins

EDITORA: Rocco

PÁGINAS: 421

SINOPSE: Após os acontecimentos dos volumes anteriores, a guerra se torna inevitável, cada distrito começa a desenvolver uma revolta e o distrito 13 surge para ajudar nessa revolução há tanto esperada. Katniss vive com a família no 13 agora, graças a algo que ocorreu com o 12 no segundo livro, e com Gale. Apesar de tudo, sua vida ainda se baseia em ajudar a família e caçar ao lado de seu amigo, mas uma responsabilidade a chama: ela terá de ser um símbolo, algo para que os revolucionários olhem e se sintam motivados a lutar, ela terá de ser o Tordo. 



Resenha #8 - Em Chamas


TÍTULO: Em Chamas

AUTORA: Suzanne Collins

EDITORA: Rocco

PÁGINAS: 413

SINOPSE: Não é novidade que a Katniss ganhou o 74º Jogos Vorazes, até porque se ela houvesse morrido, não teria continuação, então isso não é spoiler. Enfim, após a Katniss vencer no primeiro livro, o desejo de que haja uma revolução em Panem se torna mais presente nos cidadãos dos distritos, e isso por causa de algo que a Katniss fez no primeiro livro. Então, para amenizar um pouco essa situação, a capital faz no ano seguinte a 75º edição dos jogos e, nesse ano, será realizado o Massacre Quaternário, que acontece a cada 25 anos. Cada massacre é diferente, e esse será tão épico e aterrorizante quanto os passados. Enfim, a história segue os rumos deixados pelo primeiro livro, e tem um final que te deixa aflito querendo ler depressa o terceiro!


Resenha #7 - Jogos Vorazes

  É difícil escrever sobre um livro que você gosta, ainda mais sobre um livro que você gosta muito! Esse é o caso de Jogos Vorazes. Apesar de ser uma série de livros, decidi fazer separadamente, cada livro em um post, porque a história e os rumos que ela toma são bastante diferentes em cada um dos exemplares. Portanto, esse é o primeiro livro, que leva o mesmo nome da trilogia, caso você queira ler as resenhas dos outros dois livros, vou deixar os links delas aqui embaixo. Essa saga foi a segunda melhor que eu já li, só não ganhou do Desventuras em Série, e eu a devorei! Li cada livro em 3 dias, o que pra mim é muito rápido, e assim que acabava um eu emprestava para os meus colegas de escola, e foi formando fila pra pegar o livro emprestado, porque eu falava muito bem dele, e todos queriam saber se ele era mesmo tudo aquilo.

  SINOPSE: A história é ambientada no futuro, onde antes era a América do Norte, agora  é Panem, constituída de 12 distritos e uma capital. Um décimo terceiro distrito já existiu, mas foi destruído pela capital após uma rebelião, nessa época foram instituídos os Jogos Vorazes, uma forma de a capital mostrar sua superioridade. Desde então, a cada ano são escolhidos dois tributos de cada distrito, uma menina e um menino entre 12 e 18 anos, que irão se digladiar até que sobre apenas um, o vencedor. Katniss, de 16 anos, vive no distrito 12 e no dia da colheita, sabe que terá grandes chances de ser a escolhida, dado o número de vezes que inscreveu-se em troca de comida. Porém a escolhida é sua irmã, Prim, de 12 anos e que havia apenas um papel com seu nome no sorteio. Então Katniss se voluntaria para assumir o posto da irmã. E o segundo tributo a ser escolhido é Peeta Mellark, um garoto que Katniss conheceu em um momento passado. Porém, dos 24 tributos escolhidos, apenas um sairá com vida, que os jogos comecem!

  Esse primeiro livro tem uma temática mais adolescente, não estou falando que parece Crepúsculo, estou falando que se os adolescentes preferissem ler Jogos Vorazes a Crepúsculo, o pensamento geral adolescente seria mais crítico e elaborado. Em comparação com os outros volumes, esse é "menos adulto", os outros tem uma pegada mais forte nesse ponto, o que na verdade torna-os melhores, mas nenhuma série épica deixou de ter um início, e o começo de tudo isso se encontra aqui. Katniss não é uma adolescente bobinha que espera sentada as coisas acontecerem, ela está vendo um problema, então vai e resolve. Isso inclusive faz a história parecer ainda mais real, e faz com que você saiba que os personagens vão se sair bem, apesar de tudo. Todos eles são muito bem trabalhados e aprofundados.
  Eu li na metade desse ano mesmo, fui uma das últimas pessoas a lê-lo e para falar a verdade, o que me motivou foi o lançamento do filme. Todo mundo falava muito bem dele, então não pude deixar de ler os livros. E acabou que até hoje eu não vi o filme, mas estou esperando ele chegar à locadora que vou correndo buscar. Enfim, leiam esse livro! Porque são poucos os livros tão empolgantes como Jogos Vorazes.


Resenha do segundo livro: Em Chamas
Resenha do terceiro livro: A Esperança


EDITORA: Rocco
AUTORA: Suzanne Collins
PÁGINAS: 397

Três Temas #2 - Livros, Skoob e Adaptações para o Cinema


  A leitura nunca foi muito forte na população brasileira, mas de uns tempos pra cá vejo que mais e mais gente está começando a cultivar esse hábito, um exemplo disso sou eu próprio. Havia lido pouquíssimos livros até o ano passado, mas nesse ano, até agora, já li 12, não é um número muito alto também, mas pra quem não lia nada... E o motivo disso, pelo que vejo, são os blogs e vlogs literários que estão surgindo um atrás do outro. A cada dia eu descubro mais um diferente e legal que me incentiva a ler e faz resenhas muito boas, que torna impossível não sentir vontade de ler todos os livros que você tem na estante e até comprar mais! E isso é ótimo, a leitura, tanto de livros de aventura, livros de fantasia, livros de mistério, quanto de livros de crítica social e política fazem com que a pessoa crie um senso crítico muito apurado, tornando os cidadãos mais inteligentes, mais aptos para duvidar das coisas e se perguntar, além de opinar, porque o mundo é do jeito que é.

Três Temas #1 - Blogs de Humor, Memes e Apresentação


  Hoje é um daqueles dias que você fica entediado o tempo todo, e quanto mais você busca algo para se distrair, mais chato o dia vai ficando. Pois é, eu estava buscando agora mesmo por algum blog de humor, pra ver se isso passa... Mas TODOS os blogs que eu encontrei são de pelo menos 70% em tirinhas memes, e as tirinhas nem são feitas por eles! Mas tudo bem, você pode pensar, ainda temos 30%, certo? Não! Porque o restante é dividido em: 10% são gifs idiotas, a maior parte são de "vídeo cassetadas", 10% são imagens que eram pra ser engraçadas, que aliás já deram no saco tanto quanto os memes, e os 10% restantes são de pornografia! É, eu não sei de onde tiraram a ideia de que isso é engraçado, mas tá lá! Então se você tem um blog de humor que não use dessas clichês, pelo menos não em excesso, me envia aqui nos comentários! Porque eu não consegui encontrar um que seja. E se alguém que estiver lendo isso também já percebeu que não existem blogs engraçados que não usem os velhos memes, crie um, por favor! Façam humor sem memes! Tenham o mínimo de criatividade!

Resenha #6 - O Mistério da Casa Verde

  Provavelmente, quando você ver que eu dei quatro estrelas para esse livro, vai discordar e achar um absurdo, mas a razão disso é que este foi um livro que me marcou bastante, pelo fato de eu tê-lo lido bem antigamente mesmo. Quem me enchia o saco para que eu lesse esse livro era o meu primo, o Soneka. Ele dizia que leu na escola e, na época, era o melhor livro que já havia lido. Passou algum tempo, continuei adiando a leitura, mas numa tarde vazia, eu peguei o livro, li, e cara, o livro é muito foda! O livro pode ser ruinzinho pra maioria de vocês, mas para mim foi especial, até os personagens tinham nossos nomes! Tinha o Arthur, que eu dizia que era eu, o André, que era meu irmão, o Léo era o personagem do Soneka, embora o nome dele seja Iago, e tinha o Pedro Bola, que a gente dizia que era meu outro irmão, que na época era bebê.

  SINOPSE: O livro é uma releitura do livro O Alienista, do Machado de Assis. Quatro amigos, Arthurzinho, André, Léo e Pedro Bola; procuram um lugar para fundar seu clube, portanto decidem fixarem-no na casa verde, um lugar com janelas e portas muradas e que por muitos, era considerada uma casa mal-assombrada, pois antigamente ali funcionava um hospício. Assim, Arthurzinho e seus amigos fazem uma grande descoberta quando entram no casarão verde, e com o passar da história, entram em contato com um livro que contava um pouco da história daquela casa, O Alienista. Decididos a desvendar esse mistério, os garotos fazem de tudo. O que havia dentro do casarão? Porque ela é considerada mal-assombrada? Qual é o mistério da casa verde?

  Bom, se você gosta de leituras rápidas que te marcam por um bom tempo, vai gostar deste aqui. O livro estará sempre entre os meus prediletos e eu recomendo para todos que gostam de relembrar as aventuras que tiveram na infância. Apesar de ser um livro que marca, que te faz viver uma retrospectiva, ainda não é um consenso que ele é bom. Alguns dizem que o leram obrigados na escola, outros que ele é escrito com fórmulas prontas... mas eu não estou nem aí pra isso, esse livro não é só bom, ele é MUITO bom! Porque pra mim o que é mais importante é a história dele e como ela te afeta, não o quanto esse é um modelo batido. Então faça o seguinte: LEIA ESSE LIVRO!

EDITORA: Ática
AUTOR: Moacyr Scliar
PÁGINAS: 79


Resenha #5 - O Último dos Moicanos

  Esse é um livro que eu sempre ouvi falar, sempre ouvia alguém dizer que viu o filme, ou então esse nome surgia por acaso em alguma conversa, mas eu não sabia de como era a história, o porque do livro se chamar assim. Então, mexendo aqui nos livros antigos do meu pai, encontrei ele numa coleção de clássicos (a mesma do Dom Quixote) e comecei a ler, e é uma história muito bacana. Não é um livro que me marcou, mas é uma boa pedida para um fim de semana.

  SINOPSE: A história se passa durante a guerra dos sete anos e conta a trajetória de duas irmãs, Alice e Cora, pelo território americano. Inicialmente são acompanhadas por Duncan Heyward, o oficial inglês que está encarregado de levá-las em segurança até o forte William-Henry, que se achava ameaçado pelos franceses e era comandado pelo pai das jovens, Munro. Com o decorrer da história se juntam a eles um cantor de música sacra chamado David La Gamme, um valente caçador com pontaria infalível chamado Olho-de-Falcão e seus dois companheiros índios (moicanos), Chingachgook e seu filho, Uncas, cuja lealdade é admirada. Todos tem características muito bem trabalhadas. Mas tal travessia não será fácil, pois também existem outra tribo indígena, os hurons, cujo principal representante é Mágua, o Raposa-Sutil, que é cruel e sádico e fará de tudo para impedir o triunfo dos moicanos. Com o decorrer do livro terá muita luta (muita mesmo!) também um pouco de política da parte dos ingleses, mas o tema principal é a importância da cultura indígena na formação do país.

  O livro é um clássico e é merecidamente reconhecido, as cenas de ação tem um ritmo corrido, ao mesmo tempo detalhado, tornando a leitura agradável. O que deixa o livro um pouco ruim são as partes que eles estão simplesmente andando na floresta, que é entediante. Outra coisa é o número de lutas, tudo bem que houveram muitos encontros com os hurons e que eles precisaram lutar, mas não há a necessidade de detalhar todos eles. Mas para quem gosta de ação, quem gosta de conhecer as origens dos Estados Unidos, quem gosta de conhecer costumes indígenas, a esses o livro será excelente. Apesar de ser um livro pequeno, acontecem muitas coisas, muitas brigas e muitas revelações finais. O livro levará 3 estrelas, ótimo em representar o surgimento dos Estados Unidos (provavelmente o melhor representante), ótimo em mostrar costumes indígenas, ótimo em descrever as próprias relações humanas, enfim, um livro ótimo.

EDITORA: Larousse
AUTOR: James F. Cooper
PÁGINAS: 129

Resenha #4 - O Escaravelho do Diabo


  Nunca fui lá muito fã de livros nacionais, mas existem alguns que merecem o prestígio e admiração de todos, um desses é o livro O Escaravelho do Diabo da autora Lúcia Machado de Almeida. Muitos o leram quando eram criança, e o motivo disso é que ele pertence à coleção Vaga-lume, da editora Ática, uma das coleções infanto-juvenis mais lidas. O livro é um clássico brasileiro do mistério e suspense, você realmente não desconfia de quem seja o serial killer, todos parecem suspeitos!
  SINOPSE: Todos os ruivos da pequena cidade de Vista Alegre estão em perigo! Um louco assassino está à solta ninguém desconfia de quem seja. O primeiro caso dessa série de assassinatos atinge Hugo, o irmão de Alberto, que morre com uma espada espanhola cravada no peito, assim, Alberto se alia ao inspetor Pimentel e ao subinspetor Silva para resolver o caso, porém o tempo vai passando, mais ruivos vão morrendo e o assassino nunca deixa alguma pista para ser seguida. O medo se alastra na população da pequena cidade, pessoas com cabelos tingidos de vermelho se mudam para outros municípios, mesmo que o assassino só procure os ruivos naturais. Todos, personagens e leitores, buscam incessantemente por respostas. Quem será o assassino que aterroriza a pequena cidade?

  O livro é fantástico, você realmente não consegue descobrir quem é o assassino, como geralmente acontece com livros do gênero. O que achei mais interessante nesse livro foi, além do cuidado do assassino nunca deixar marca alguma no local do crime, sempre mandar, antes de matar a pessoa, um besouro diferente, cujo nome científico revela como será a morte do ruivo da vez. Não é à toa que o livro é um clássico, cada página virada é outro caso que aparentemente não tem solução. E assim, o livro leva 3 estrelas! O que não é pouco, considerando que 1 estrela é péssimo, aqueles que realmente eu não recomendo para ninguém, e 5 estrelas são aqueles que realmente fazem a diferença, aqueles que já tem certa fama pelo que são: excepcionais. Portanto O Escaravelho do Diabo fica aí no meio termo, não é daqueles que te fazem ficar pensando nele por semanas, mas merece todo o prestígio de um livro nacional que realmente é excelente.

EDITORA: Ática
AUTORA: Lúcia Machado de Almeida
PÁGINAS: 128

Resenha #3 - Terra da Morte

  Geralmente eu gosto da maioria dos livros que leio. Realmente são poucos os livros que receberão apenas uma estrela aqui no blog, porque para um autor reservar tempo para escrever um livro, esse livro deve ser pelo menos razoável. Mas Jack Adrian consegue fugir à regra. Não sei se no livro original também é assim, mas a tradução traz, a cada página pelo menos um palavrão. E geralmente o mesmo xingamento se refere tanto para o amigo "da mesma equipe" quanto para o inimigo, então você fica tendo que prestar muita atenção pra ver quem é o "filho da puta" da vez. Pode ser que a brutalidade, até mesmo nas palavras, seja uma marca para mostrar como o mundo estava realmente perdido, mas é usado tantas vezes que você mesmo se sente ofendido. Desculpa, mas esse é o pior livro que eu já li, e vai ser muito difícil algum outro superá-lo. 

  SINOPSE: A história é narrada no ano de 2104, cento e três anos após o mundo ser explodido por bombas nucleares, sim, o mundo acabou em 2001, o que é uma sátira ao filme "2001: Uma Odisséia no Espaço" que dizia que a partir desse ano o mundo estaria em paz e prosperidade, estavam enganados. É nessa distopia que encontramos Ryan Cawdor e sua equipe, Krysty Wroth e o armeiro J.B. Dix. Que, depois de muita enrolação, seguem para procurar o "nevoeiro", uma parede de névoa que se comporta como um monstro em fúria, porém, atrás desse desafio, se encontra algo que eles acreditam que pode mudar o rumo da história, algo que faria a vida deles melhorarem um pouco.

  Enfim, o livro é, como já disse, uma sátira ao filme de Stanley Kubrick, com a diferença de que o filme é bom. Nunca conheci ninguém que já tenha lido esse livro, mas pelo que vejo em resenhas da internet, ele não fez sucesso algum no Brasil. Mas, pelo que parece, no exterior ele alcançou certa fama, pois em 2003 foi feito um seriado baseado no livro. De qualquer forma, se você pretende ler um livro com uma pegada parecida, leia "O Guia do Mochileiro das Galáxias" ou "Neuromancer", que são merecidamente reconhecidos por serem bons. Pode parecer que eu queira te privar de ler esse livro (e é exatamente o que quero), mas o que pretendo é te prevenir de uma leitura idiota. O livro dá voltas demais antes de acontecer algo realmente emocionante, os personagens são muito superficiais e o objetivo deles, aquele atrás do nevoeiro, nem é tão bom assim. Tudo bem que é um livro considerado um precursor para todos esses livros de ficção científica atuais, mas é somente por essa razão que ele leva 1 estrela, porque na verdade, ele não merece nenhuma.

EDITORA: Nova Cultural
AUTOR: Jack Adrian
PÁGINAS: 257

Resenha #2 - Dom Quixote


  Depois de fazer a resenha do meu livro favorito, vou fazer a daquele que é, por muitos, considerado o melhor livro de todos os tempos. Dom Quixote é o cavaleiro andante mais amado no mundo, e não é para menos; entre suas alucinações épicas, ele e seu companheiro de aventuras, Sancho Pança, filosofam sobre as mazelas da época e do ser humano, o que Miguel de Cervantes sabe fazer com primazia.

  SINOPSE: Dom Quixote é um sonhador, que após ler centenas de romances de cavalaria fica louco e imagina que o mundo real é um desses romances, e que ele é o cavaleiro andante que deve desbravar a Espanha em busca de aventuras. Para tanto, ele precisa de um nome de cavaleiro, um escudeiro, um cavalo e uma razão pela qual lutar, ou seja, uma dama. Assim, ele passou-se a se chamar de Cavaleiro da Triste Figura, teve como aliado o ingênuo e engraçado Sancho Pança, pegou um rocim (cavalo de pequena estatura, fraco) e o batizou de Rocinante (rocim antes) e a dama para a qual ele dedica seus feitos é Dulcinéia, alguém do passado que amou em segredo. Juntando tudo isso com um bocado de filosofia espanhola, está pronta a receita para o melhor livro de todos.


  Eu, particularmente comecei a ler por duas razões, primeiro porque ele estava parado aqui em casa e meu pai dizia que era realmente muito bom, e o segundo motivo é justamente que em toda lista do tipo "Melhores Livros de Todos os Tempos" que eu olhava, lá estava ele, senão em primeiro, dentro do "Top 5". Portanto li o livro, gostei muito, de verdade, mas não achei tudo isso que dizem. Ele realmente é muito engraçado e tem cada aventura épica! Mas chega em algumas partes que a história deixa de ter ação, fica tudo muito parado e maçante, e é por esses momentos que o livro leva 4 estrelas. Pode ter sido da edição que eu li (que não é essa aí de cima), ou mesmo que nenhuma tradução é completamente fiel ao original, portanto não seria essa uma exceção. O livro merece sim estar na lista dos melhores, e Dom Quixote estará sempre na lista de personagens que mudam o modo da pessoa pensar em vários sentidos. Dom Quixote não é somente um "Cavaleiro da Triste Figura", mas o maior herói da literatura.

EDITORA: Nova Cultural
AUTOR: Miguel de Cervantes
PÁGINAS: 686

Resenha #1 - Desventuras em Série

  Aqui estamos! Primeira resenha que vou fazer e já vai ser de um livro que eu considero o melhor livro que eu já li. Parece precipitado falar dele logo na primeira postagem, mas eu prefiro já falar sobre ele, dando suas merecidas 5 estrelas, do que começar falando sobre algum livro que não seja tão bom quanto.
  O livro, ou melhor, os (13) livros, são a coleção Desventuras em Série! Sim, esses são os melhores livros que eu já li, sem dúvida alguma. Apesar de ser um bocado grande essa série (treze livros não é pra qualquer um), eu a li em menos de um mês, isso porque cada livro tem em média de 150 a 300 páginas, que você devora em menos de dois dias. Bom, eu pelo menos, que não tenho uma leitura invejada por ninguém.

SINOPSE: O livro conta a história dos irmãos Baudelaire: Violet, Klaus e Sunny, cada um com uma habilidade. Violet é inventora, e sempre que vai inventar algo amarra uma fita em seus cabelos; Klaus leu muito mais livros do que muitas pessoas já adultas e se lembra de tudo o que leu, assim tem lembranças do que já leu e consegue resolver algumas complicações ao longo da história; e Sunny tem dentes afiadíssimos, além de conseguir se comunicar com seus irmãos por palavras que somente eles entendem. Eles descobrem logo no primeiro livro que seus pais foram mortos em um incêndio e que devem ir morar com tios que nem mesmo conhecem. Ao longo de cada um dos livros eles fogem de uma ameaça diferente tramada pelo conde Olaf, que quer colocar as mãos na fortuna de seus falecidos pais.

  E todos os livros seguem essa linha, você pode pensar que vai ser muito "mais do mesmo", mas a cada livro eles fazem alguma descoberta diferente que torna a história ainda mais empolgante e envolvente. Os primeiros livros parecem destinados exclusivamente para crianças, mas à partir do quarto, o enredo começa a se tornar mais adulto, com a descoberta da estranha sigla CSC. Lemony Snicket, pseudônimo do autor Daniel Handler, sempre adverte o leitor para que pare sua leitura, pois a história não tem um final feliz, não tem um começo feliz e seus momentos felizes ao longo da história são muito raros, mas não deixe de ler essa saga porque cada livro desses conta um pedaço de um mistério, que até hoje eu não consegui encontrar outro que me deixasse com tanta vontade de desvendar.

EDITORA: Companhia das Letras
AUTOR: Lemony Snicket
MÉDIA DE PÁGINAS: 232

DiscoDiVinil © 2012-2016 | Versão 3.0 | Todos os direitos reservados

Projetado e editado por Arthur Dias

Tecnologia do Blogger

http://i65.tinypic.com/j9ob41.png