Resenha #3 - Terra da Morte

  Geralmente eu gosto da maioria dos livros que leio. Realmente são poucos os livros que receberão apenas uma estrela aqui no blog, porque para um autor reservar tempo para escrever um livro, esse livro deve ser pelo menos razoável. Mas Jack Adrian consegue fugir à regra. Não sei se no livro original também é assim, mas a tradução traz, a cada página pelo menos um palavrão. E geralmente o mesmo xingamento se refere tanto para o amigo "da mesma equipe" quanto para o inimigo, então você fica tendo que prestar muita atenção pra ver quem é o "filho da puta" da vez. Pode ser que a brutalidade, até mesmo nas palavras, seja uma marca para mostrar como o mundo estava realmente perdido, mas é usado tantas vezes que você mesmo se sente ofendido. Desculpa, mas esse é o pior livro que eu já li, e vai ser muito difícil algum outro superá-lo. 

  SINOPSE: A história é narrada no ano de 2104, cento e três anos após o mundo ser explodido por bombas nucleares, sim, o mundo acabou em 2001, o que é uma sátira ao filme "2001: Uma Odisséia no Espaço" que dizia que a partir desse ano o mundo estaria em paz e prosperidade, estavam enganados. É nessa distopia que encontramos Ryan Cawdor e sua equipe, Krysty Wroth e o armeiro J.B. Dix. Que, depois de muita enrolação, seguem para procurar o "nevoeiro", uma parede de névoa que se comporta como um monstro em fúria, porém, atrás desse desafio, se encontra algo que eles acreditam que pode mudar o rumo da história, algo que faria a vida deles melhorarem um pouco.

  Enfim, o livro é, como já disse, uma sátira ao filme de Stanley Kubrick, com a diferença de que o filme é bom. Nunca conheci ninguém que já tenha lido esse livro, mas pelo que vejo em resenhas da internet, ele não fez sucesso algum no Brasil. Mas, pelo que parece, no exterior ele alcançou certa fama, pois em 2003 foi feito um seriado baseado no livro. De qualquer forma, se você pretende ler um livro com uma pegada parecida, leia "O Guia do Mochileiro das Galáxias" ou "Neuromancer", que são merecidamente reconhecidos por serem bons. Pode parecer que eu queira te privar de ler esse livro (e é exatamente o que quero), mas o que pretendo é te prevenir de uma leitura idiota. O livro dá voltas demais antes de acontecer algo realmente emocionante, os personagens são muito superficiais e o objetivo deles, aquele atrás do nevoeiro, nem é tão bom assim. Tudo bem que é um livro considerado um precursor para todos esses livros de ficção científica atuais, mas é somente por essa razão que ele leva 1 estrela, porque na verdade, ele não merece nenhuma.

EDITORA: Nova Cultural
AUTOR: Jack Adrian
PÁGINAS: 257

Nenhum comentário :

Postar um comentário

DiscoDiVinil © 2012-2016 | Versão 3.0 | Todos os direitos reservados

Projetado e editado por Arthur Dias

Tecnologia do Blogger

http://i65.tinypic.com/j9ob41.png