Resenha #14 - O Grande Mentecapto


TÍTULO: O Grande Mentecapto

AUTOR: Fernando Sabino

EDITORA: Record

PÁGINAS: 256

SINOPSE: Geraldo Viramundo nasce na cidade mineira de Rio Acima e tem uma infância repleta de aventuras, talvez a mais marcante tenha sido o seu ato heroico de conseguir parar um trem que sempre passava por sua cidade mas nunca parava. Todavia, esse evento traz uma consequência péssima que o acompanhará para o resto da vida. Quando já está um pouco mais crescido, conhece Padre Limeira e vai com ele para um seminário na cidade de Mariana onde passa por mais peripécias. Dessa forma, com o passar do tempo, mais acontecimentos marcantes vão ocorrendo na vida de Viramundo de forma às vezes cômica, às vezes trágica, e somos nós os seus acompanhantes em todas essas aventuras.


  Sabino criou mais do que um personagem cômico e, por vezes, como o próprio título fala, maluco; ele criou um protagonista que se compara a Dom Quixote: Sonhador, ingênuo e puro. Todas as aventuras pelas quais Viramundo passa são salpicadas de um humor jocoso, onde ele faz amizades, encontra um amor platônico e, claro, se mete em confusões.

  O livro traz um teor político também, mas sem deixar de lado as desventuras do protagonista. Esse teor faz o leitor pensar e concordar com algumas propostas do mentecapto, mas restringe-se à história, após o término do livro as críticas sociais levantadas não fazem com que o leitor se revolte, ou coisa parecida.

"Este ser engasgado, contido, subjugado pela ordem iníqua dos racionais é o verdadeiro fulcro da minha verdadeira natureza, o cerne da minha condição de homem, herói e pobre-diabo, pária, negro, judeu, índio, cigano, santo, poeta, mendigo e débil mental, Viramundo! que um dia há de rebelar-se dentro de mim, enfim liberto, poderoso na sua fragilidade, terrível na pureza de sua loucura."

  Todo o enredo é muito bem amarrado e Geraldo Viramundo acaba viajando por quase todo o estado de Minas Gerais. Em cada uma das cidades em que se aloja, vive um caso diferente, onde sua ingenuidade provoca uma confusão enorme, fazendo-o constantemente ser preso ou levado ao hospício. Porém, ele sempre foge desses lugares, para a nossa alegria, e vive muito mais aventuras.

"Estava, por assim dizer, num instante de transição em que a existência parece pairar em suspenso entre dois vazios ou entre dois mistérios que se completam."

  Fernando Sabino reuniu elementos trágicos e cômicos, colocou tudo numa mesma obra e misturou à inocência de um menino que se esqueceu de crescer. Seu livro é isso e ainda é mais. Sem dúvida, um grande expoente da literatura brasileira.

7 comentários :

  1. Não fiquei com a mínima vontade de ler o livro após a sinopse, sei que sabino é um daqueles autores clássicos, mas só pretendo ler obras dele bem mais tarde.

    Beijos,
    Lara - whoisllara.com

    ResponderExcluir
  2. Entendo, Sabino também não é um dos meus autores favoritos, mas preciso te aconselhar a não deixá-lo totalmente de lado. Mesmo deixando para mais tarde, não o considere apenas "mais um autor clássico", e quando for começar a ler seus livros, inicie por este (foi o único que li, mas a crítica dos outros não chega a ser tão positiva). Enfim, espero ter conseguido encurtar esse "bem mais tarde". xD
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Adoro sua maneira de ajeitar as palavras, e, menino, eu piro no nome do seu blog!
    Te indiquei num selo lá no meu blog, é super simples ta aqui
    http://pensadoremserie.blogspot.com.br/2014/01/selo-versatile-blogger-award.html
    Valeu, bjs!

    ResponderExcluir
  4. Haha, muito obrigado pelos elogios e pela indicação, Marcos, mas já respondi a esse selo. Fica para a próxima. :]
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  5. Olá Arthur, parabéns pelo blog!! Gostei muito da sua página e também da sua forma de escrever, com certeza vou passar por aqui mais vezes!! Sobre o livro, achei que você soube instigar o leitor a dar uma chance a obra, com certeza a minha leitura dessa obra está mais próxima de acontecer do que quando entrei aqui!! Só achei que você poderia ter escrito mais, sei que resenhas grandes as vezes desestimulam a leitura, mas na maioria das vezes elas valem a pena!! :}

    Te espero lá no Prólogo da Leitura, até mais!!

    ResponderExcluir
  6. Eu devo ser meio complexado com isso, mas sempre tento resumir as minhas resenhas a fim de não tornar a leitura da mesma muito maçante. Minha última resenha ficou enorme e eu quis compensar aqui, mas às vezes esqueço que estou escrevendo para leitores acostumados a ler livros gigantes e que um texto com parágrafos enormes não seriam grande problema.
    Obrigado pelo comentário e até mais! ;D

    ResponderExcluir
  7. Olá Arthur!
    Já li um livro do autor, O menino no espelho. Acho que já ouvi falar desse livro... Parabéns pela resenha que está muito boa e escrita de uma forma muito boa ;D
    Abraços e sucesso!
    http://gatos-livros-chocolate.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

DiscoDiVinil © 2012-2016 | Versão 3.0 | Todos os direitos reservados

Projetado e editado por Arthur Dias

Tecnologia do Blogger

http://i65.tinypic.com/j9ob41.png