Resenha #23 - Extraordinário


TÍTULO: Extraordinário

AUTORA: R. J. Palacio

EDITORA: Intrínseca

PÁGINAS: 320

SINOPSE: "Meu nome é August. Não vou descrever minha aparência. Não importa o que você esteja pensando, porque provavelmente é pior". É assim que o protagonista do livro se apresenta ao final do primeiro capítulo. August nasceu com uma síndrome genética rara e, por conta disso, tem uma séria deformidade facial. O garoto passou por diversas cirurgias e, apesar de todas terem sido um sucesso, seu rosto ainda não pode ser considerado "comum". Na verdade, o rosto de August causa estranheza, repulsa, asco e horror aos desavisados, e é por isso que ele não quer iniciar seus estudos em uma escola normal. Além das dificuldades atreladas ao início do quinto ano, nosso protagonista de dez anos ainda deve passar por cima das discriminações dos colegas e tentar convencê-los de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.


  Ao iniciar a leitura, meus pensamentos oscilavam entre "pessoas já choraram lendo esse livro!" e "pare de pensar em coisas assim, vai acabar criando expectativas demais!", mas nem todas as expectativas positivas do mundo seriam capazes de minimizar a grandiosidade dessa obra. Não cheguei a chorar, mas me encantei com a sutileza com que o livro trabalha temas sérios, como o preconceito, o bullying, a aceitação de diferenças, a compaixão e o apelo por gentileza.

  O livro é narrado em primeira pessoa mas não é só o ponto de vista de August que nos é apresentado. Conforme a leitura avança, um outro personagem passa a continuar a história de sua perspectiva e até recontar o que já foi narrado, dando uma nova ótica sobre determinados acontecimentos. Além da surpresa que isso nos causa - afinal, August pode tomar atitudes de certos personagens como ofensivas mas, quando contadas pela visão desses personagens, aquele mesmo incidente ganha novos significados -, essas seções-contadas-por-personagens-distintos faz com que cada qual seja explorado de uma maneira magnífica.

  R. J. Palacio realmente conseguiu aprofundar muito nos sentimentos de cada personagem criado. Um exemplo: Via, a irmã de August, é retratada pelo irmão como uma pessoa compreensiva em relação à sua situação e apenas um pouco mal-humorada quando as pessoas agem de maneira grosseira para com ele. Mas quando ela passa a ser a narradora, nossa visão sobre ela é ampliada: Ela realmente ama o irmão e o vê como enxerga qualquer outra pessoa, mas se sente isolada da família, já que os pais acabam se preocupando mais com August - o centro (admissível) das atenções.

  Outro ponto em que a autora conseguiu me surpreender foi em relação aos pais de August. Isabel e Nate parecem ser, em um primeiro momento, super-amorosos, super-afáveis, super-atenciosos... E o meu medo é que Palacio resumisse o casal a um par de personagens super-não-desenvolvidos, cuja existência na história fosse, essencialmente, amar os filhos e apoiá-los frente às dificuldades escolares... Mas não. A autora apresentou-os assim porque são o que eles tentam ser na maior parte do tempo - uma família feliz e alicerce para o crescimento dos filhos -, mas há momentos em que Nate dá mais importância ao trabalho que aos filhos, em que Isabel discute com Via, etc... Esses momentos têm grande valor no livro, do meu ponto de vista, pois dão uma dimensão realista aos personagens.

  O arco narrativo dos alunos da escola de August também é muito bem trabalhado. Durante o ano em que a história se desenrola, vários alunos que antes zombavam August passaram a protegê-lo. E personagens secundários, como o namorado da Via, também tiveram a oportunidade de escrever uma seção do livro. - Embora a seção desse personagem tenha sido um tanto incômoda, já que ele não usa maiúsculas, travessões ou aspas. Todavia, esse foi mais um ponto positivo, pois também ajuda a traçar a personalidade do personagem em questão.

  O livro é cheio de referências. Não consegui captar todas, mas percebi a influência de Star Wars, Nárnia, Shakespeare, O Hobbit, Guerra e Paz, Indiana Jones, Green Day, Pânico e Diário de um Banana. Gosto de livros que usam esse recurso e achei divertido o modo como eram introduzidos. O próprio título da obra pode ser considerado uma referência. No caso, à música Wonder (homônima ao título original do livro) de Natalie Merchant, cujos trechos aparecem diversas vezes na obra.

  Mais do que um livro, eu diria, este é um profundo ensinamento sobre preceitos fundamentais para a vida de cada um de nós. Gentileza. Esperança. Amizade. Compaixão. Aceitação. O que você faria se visse uma criança com o rosto desfigurado na porta de uma sorveteria? No caso de R. J. Palacio, ela escreveu um livro. E não apenas um livro de estréia qualquer, mas uma lição de vida para que os desavisados não estranhem quando se deparar com alguém diferente, mas aja como Jack Will, Summer ou Amos. As diferenças não são motivo de estranhamento, mas de aprendizado, aceitação e, finalmente, de conceber que todos são, afinal, semelhantes.

25 comentários :

  1. Uaal Arthur!
    Adoro a maneira que vocês organizam os posts aqui no Disco, isso me inspira muito :)
    Já resenhei esse livro no meu blog também e concordemos que ele é incrível!
    No começo do livro eu achava o August meio infantil, mas depois percebi que isso era natural devido a tudo o que ele já havia passado naquela idade.
    O livro realmente me fez refletir muitos aspecto e, respondendo a sua pergunta:
    P: O que você faria se visse uma criança com o rosto desfigurado na porta de uma sorveteria?
    R: Eu não a discriminaria pela aparência, mas também não sei se demonstraria algo no meu olhar... Sabe aquele caso do Aug perceber que o estão encarando e quando ele percebe a pessoa desvia o olhar? então, eu tenho medo de inconscientemente ser essa pessoa. É natural do ser humano estranhar algo apenas por ser diferente.

    Abraço e muito sucesso!
    Literamúsicas

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pelos elogios, Diego! Fico feliz que se sinta inspirado ao ler minhas resenhas. :]
    Quanto à resposta da pergunta, é realmente complicado precisar qual seria nossa atitude, mas a leitura de Extraordinário me fez repensar esse aspecto.
    Concordo contigo que estranhar o diferente é algo inerte ao ser humano, mas não é por isso que não podemos mudar nossa mentalidade. Reconhecer as semelhanças, mesmo quando elas não são evidentes, é uma imensa virtude - espero ser o tipo de pessoa que não desvia o olhar da criança na sorveteria, mas lhe dirige um sorriso.
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Eu já conhecia esse livro, mas ainda não tinha visto essa capa azul. É uma nova edição? Enfim, só vejo resenhas positivas a respeito do mesmo e estou ansioso para ler. Ainda não tive a oportunidade de comprar, mas não hesitarei quando ela surgir.

    P.S: A propósito, sua resenha está ótima. Continue assim!
    http://blogityours.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Já li esta obra tão incrível, pela qual sou apaixonada. Amo a forma como vc escreve e expõe tão nitidamente sua opinião, mesclando com a análise da obra. Mesmo conhecendo a história, tive que me deliciar com sua resenha.
    Beijos
    aculpaedosleitores.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Zach, na verdade não. Essa edição foi lançada no ano passado, apenas alguns meses após a primeira. O que fez com que vários leitores se frustrassem por não conseguir comprar a tão desejada, e agora rara, "Edição Vermelha".
    Não hesite mesmo. Aliás, lhe garanto que o livro é bom o suficiente para fazer com que você não somente espere por essa oportunidade, mas a crie.
    Tenha uma boa leitura!

    Bia, obrigado!
    Acho que os seus elogios são os mais importantes para mim. Você foi uma das primeiras a dar sua opinião sobre meus textos e fico feliz em saber que hoje, tantos meses depois, ela ainda se mantenha positiva.
    Mais uma vez, obrigadão!!

    Grande abraço aos dois!

    ResponderExcluir
  6. Oi Arthur, tudo bem?

    Ahhh esse livro é lindo demais. Uma história muito profunda sobre aceitação, amor... impossível não se apaixonar pelo Auggie. Eu to doida pelo livro dos Preceitos. A intrinseca lança final do mês, se não me engano.

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  7. Fala, Arthur. Primeiro, vou dar os parabéns pelo blog. Realmente mto bom.
    Segundo, Extraordinário é fantástico. Meu forte não é leitura, mas achei esse livro bem legal. Li por indicação dos amigos do Maisquelivros. Já leu o Capítulo de Julian? Mto legal tb.

    Abraços.

    http://www.maisquelivros.com/

    ResponderExcluir
  8. Kel, o livro é bonito demais mesmo! O livro dos preceitos ainda não tem data de lançamento prevista, segundo o site da Intrínseca; mas também estou ansioso por sua publicação. Até a capa ainda é provisória (igual à da edição americana), mas ela é bem legal e espero que não a troquem.

    Douglas, eu ainda não sabia sobre esse "Capítulo do Julian", mas achei muito interessante a Palacio ter dedicado um livro à parte para o ponto de vista dele. Com certeza o lerei o mais rápido possível!
    Obrigado pelos elogios. [:

    Grande abraço aos dois!

    ResponderExcluir
  9. Olá Arthur

    Este livro me surpreendeu muito e está até hoje na minha lista de favoritos. Confesso que quase chorei com o final, principalmente por conta do protagonista falar sobre suas sensações e etc do que estava ocorrendo. A Palacio do RJ (sim, é assim que eu chamo a autora) escreve muito magicamente bem. Espero poder ler 'O Capítulo do Julian' que parece ser tão bacana quanto este livro EXTRAORDINÁRIO.

    Abraço!
    www.umomt.com

    ResponderExcluir
  10. Hahahah, excelente nome! Vou passar a chamá-la assim também. xD
    A escrita dela é mesmo muito fluida e foi uma bela sacada escrever capítulos tão curtos, de no máximo 4 páginas. Acho impossível se cansar da leitura na metade.
    O final do livro não me emocionou tanto quanto eu esperava, mas foi lindo. Provavelmente isso tenha se dado porque eu interpretei mal a "citação que abre cada seção do livro". A citação da Parte 8 (última) transmitiu-me uma possibilidade, mas acho que o final da Palacio do RJ foi melhor do que o que eu imaginei baseando-me nessa possibilidade - desculpe-me pela subjetividade, estou tentando evitar spoilers. Hahaha
    Acho que o que mais gostei no final não foram das sensações do Auggie, mas das palavras proferidas pelo Sr. Buzanfa. Achei que isso fez o final ser muito emocionante, e de uma maneira não apelativa.
    Obrigado pelo comentário e grande abraço!

    ResponderExcluir
  11. Arthur, que resenha linda! Eu li Extraordinário há mais de 1 ano, mas não me senti preparada pra escrever sobre ele. Fiquei enrolando e acabei deixando pra lá. Pretendo reler pra tentar resenhar. O livro é lindo, com lições fantásticas e uma abordagem excelente. A troca de narração deu outro sentido, pudemos ver sob vários ângulos diferentes. Palacio estreou com o pé direito!
    Beijinhos!
    Giulia - www.prazermechamolivro.com

    ResponderExcluir
  12. Obrigado, Giulia!
    Acho que eu ainda tava no clima do livro e por isso a resenha saiu fácil, mas já tive esse bloqueio também. Às vezes um livro é tão bom que nós temos medo de estragar sua imagem falando algo impróprio (talvez por isso eu não tenha resenhado O Buraco da Agulha até hoje, um dos meus livros favoritos).
    Espero que você consiga derrubar esse bloqueio e escrever sua resenha. Quando ela for publicada, me avise! ;)
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  13. Oi Arthur, sua resenha está incrível. Realmente quando eu li esse livro também fiquei com receio de criar expectativas demais e me decepcionar, e que bom que também não aconteceu isso.

    Achei um livro incrível e que nos trás lições valiosas sobre como é ser diferente, e que na verdade isso não é importante, o importante é o amor, aceitação e entender que ser diferente é normal. Gostei muito do livro ser escrito sob vários pontos de vista, dá para ter uma dimensão muito maior do texto. E fora que a arte de cada seção está incrível.

    Algo que eu amei também foram os preceitos, realmente alguns me marcaram demais e estou doida para ler o livro de preceitos que está sendo lançado (ou já foi) esse mês.

    Os quotes que você destacou são ótimos. Aliás, esse livro é todo ótimo e sua resenha está excelente.

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
  14. Olá, Rafaella, e obrigado!
    Além da arte de cada seção, que realmente é muito bacana, com o rosto do narrador da vez, as fontes das letras escolhidas também merecem destaque. Tanto as que abrem uma nova seção quanto as que iniciam os capítulos...
    (Não sei, acho que elogiar cada detalhe do livro é uma maneira de traduzir o que ele nos transmite. Ou não, talvez essa valorização seja arbitrária e só estejamos tentando fazer com que mais pessoas o leiam. Portanto, a quem estiver lendo esse comentário: Comprem 'Extraordinário', a fonte das letras é muito boa!)
    Obrigado pelo comentários, por gostar dos quotes e grande abraço!

    ResponderExcluir
  15. Ola Arthur ainda não consegui ler esse livro, sua resenha ficou maravilhosa destacando os personagens e seus sentimentos com relação ao August o que já torna o livro lindo . As quotes que destacou são lindas . Correndo para colocar a leitura em dia e ler esse . abraços

    ResponderExcluir
  16. Oi Arthur!
    Não me recordo de ter lido uma resenha negativa sobre esse livro, são sempre todas positivas, ou melhor dizendo, encantadas com o livro. O que me leva a crer que devo ler o quanto antes!
    Ótima resenha!
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Olá Arthur,
    sempre leio resenhas super positivas sobre o livro, e a sua comprova a certeza de uma leitura que merece ser valorizada pelas suas sutilezas e forma de mostrar valores e acontecimentos de uma vida um tanto real ao nosso olhar e perceptiva.
    Infelizmente não digo a você que estou louca a ler este livro, mas tenho ele na minha lista de leitura, contudo não é o tipo de leitura que me chamou atenção o suficiente parta desejar desesperadamente.
    Um fato que gostei muito foi de você ter falado que a autora tornou os personagens não tão fictícios, mas sim perto da realidade, isso nos leva o que disse logo acima, ha uma realidade. E isso eu prezo muito em leitura que abrita assuntos do qual o mesmo livro carrega. Fazendo refletir e pensar em certas atitudes de nosso mundo.
    Adorei sua resenha, e os quotes estão maravilhosos.

    Beijokas Ana Zuky

    ResponderExcluir
  18. Essa sutileza em trabalhar temas sérios sempre me encanta também. Ao contrário de você, acho que vou acabar chorando quando conseguir ler, rs, ando numa fase muito sensível.

    Achei fantástico isso de em determinada parte um personagem além do August contar a história de sua perspectiva e até recontar algumas coisas, dando uma nova ótica sobre alguns acontecimentos. Não me lembro de já ter visto isso em outro livro.

    Beijo!

    Ju
    Entre Palcos e Livros

    ResponderExcluir
  19. Olá...

    Sua resenha foi inspiradora... esse livro mexe com a mente de todos que os lê... fico imaginando o encantamento que ele traz já que eu ainda não o li... mas pretendo em um futuro próximo.... eu gosto dessa essência que os livros traz ao nosso coração e os ensinamentos que eles submetem a nossa alma em aprender... você conseguiu transmitir o que sentiu na resenha e tem os meus sinceros parabéns por isso!!! Xero!!!

    ResponderExcluir
  20. Uau Arthur! Estou encantada com sua resenha. Já queria ler esse livro, mas depois de sua resenha tô desesperada. Gostei de saber que a autora trabalhou assuntos fortes com sutileza. Quero esse livro agora.

    Beijos,
    Leitora Sempre

    ResponderExcluir
  21. Ahh esse livro... ele mexe com a gente e é impossível não parar para pensar nessa reação da sorveteria não é?! Acho que todos se identificam ali.
    Sua resenha ficou linda. Você ressaltou as melhores partes do livro - se é que existe alguma que não é boa - e a recheou de quotes lindos *---*
    Você não colocou o meu preferido - que é o de ser aplaudido - mas ta lindo mesmo assim rs

    A intrínseca está lançando esse mês os preceitos e o capitulo do Julian. Já estou louca para ler ambos rs

    Beeeijinhos ;*
    Andressa - Mais que Livros

    ResponderExcluir
  22. Esse livro é maravilhoso, quase não tenho palavras para descrevê-lo. A escrita da R. J. Palacio é muito boa e ela fez uma abordagem maravilhosa sobre uma situação tão comum nos dias de hoje. O Auggie me conquistou desde as primeiras páginas e cada coisa que ele disse me fez refletir. Esse livro não poderia ter nome melhor. Simplesmente apaixonante. Um dos melhores que já li. Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/ (Ta rolando sorteio lá no blog, participa!)

    ResponderExcluir
  23. Oi Arthur, tudo bem?
    Isso não se faz!!! Eu fiquei lendo suas palavras que me tocaram fundo e consegui visualizar as cenas e me emocionei!!!!!! Nossa, como deve ser a vida desse pequeno grande extraordinário!!!!!!!
    Eu já tinha lido algumas resenhas, mas não lembro de nenhuma delas ter citado a estratégia da autora em apresentar os personagens sob todos os ângulos. Com certeza abrilhantou a obra, afinal de contas, nunca temos como saber quem é realmente a pessoa, só conhecemos o que ela permite conhecer. Então, expor todos eles deve ter feito toda a diferença.
    Não tem como não amar esse livro!!!!!!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  24. Oi, Arthur
    Esse livro faz jus ao título que tem. É extraordinariamente absurdo.
    Eu adorei fazer essa leitura e nem consegui resenhá-lo no blog. O mais interessante foi a dualidade de sentimentos: num momento você pensa que não teria aversão ao August e nem medo de seu rosto, mas quando você enxerga pelo ponto de vista dos amigos e de outras pessoas, você percebe que se comportaria da mesma forma. É até hipócrita como achamos que faríamos uma coisa e ao mesmo tempo, sabendo que não seria assim.
    Eu amei demais esse livro, os preceitos, a lição de vida e os pontos tocados. <3

    Adorei a resenha!!

    Abraço
    Adriano
    GeraçãoLeitura.com || http://geracaoleiturapontocom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  25. Ameeeeeeeeeei a resenha! Tenho esse livro aqui, mas ainda não o li. Acho que estou perdendo tempo, esse livro deve ser "apenas" PERFEITO! <3

    Beijoooos!
    Vivendo em Livros

    ResponderExcluir

DiscoDiVinil © 2012-2016 | Versão 3.0 | Todos os direitos reservados

Projetado e editado por Arthur Dias

Tecnologia do Blogger

http://i65.tinypic.com/j9ob41.png