Conto - Instantes Idiossincráticos


  Trouxe trabalho para casa de novo. Estava sentado à mesa da copa, terminando de preencher um relatório. Minha esposa estava na cozinha fazendo massa de pão, ela nunca lembra de colocar farinha o suficiente para a massa não grudar nas mãos. Minhas costas já estavam me incomodando há meia hora, precisava me levantar.
  Fui até o rádio, coloquei um cd do Franz Ferdinand e pulei até a faixa Take Me Out. Me espreguicei levando os dois braços o máximo para trás que iam, fechei os olhos e soltei a respiração vagarosamente. Olhei para ela. Estava acompanhando o ritmo da música com a cabeça enquanto apertava mais a pobre massa.
  Ela não demorou a reparar que eu estava a observando, me olhou e sorriu. Limpou o máximo que conseguiu as mãos e veio marchando em minha direção no ritmo das marcações com a guitarra. Comecei a me mexer também, mas sem sair do lugar. Ela chegou a uma distância de uns dois metros de mim e eu comecei a fingir que tocava bateria, com os pulsos cruzados, tocando minhas baquetas invisíveis no compasso da música. Ela pegou uma guitarra, também imaginária, e se pôs a me acompanhar.
  Lá pela metade da música a segurei pela cintura e a puxei mais para perto, ainda nos remexíamos, dançando. Ela olhou nos meus olhos e mordeu o lábio inferior. Peguei um pouco de massa de sua mão e sujei seu nariz, ela riu e se afastou cerca de quatro passos. Então teve início a parte final da música, com mais marcações de ritmo com a guitarra, ela se virou e voltou a marchar para mim, quando a música acabou ela sussurrou, já perto o suficiente para que seus lábios alcançassem minha orelha:
  – Eu amo você.
  Ela se afastou um pouco e nos beijamos. O cd começou a tocar The Dark Of The Matinée, sem parar de me beijar ela estendeu o braço e pausou a música. Mais alguns segundos se passaram e enfim nossos lábios se desvencilharam. Ela foi se distanciando, olhando para o meu rosto, enquanto eu ainda curtia o momento. Então notei que minhas mãos estavam sujas de massa de pão, entrei no banheiro para lavá-las e o momento se foi.

Autoria: Arthur Dias

***


***

Nota 1: Quem quiser pegar o texto para uso geral, sinta-se à vontade; apenas me comunique antes e credite o autor (Arthur Dias) e o blog (DiscoDiVinil).

Nota 2: Finjam todos que são grandes críticos de literatura e tentem me orientar: critiquem, sugiram mudanças, apontem meus erros e comentem o que acharam do texto.

Nota 3: Desculpem-me, mas só achei a música remixada no SoundCloud. Se quiser escutar a original, acesse o link: http://www.youtube.com/watch?v=Ijk4j-r7qPA.

Nota 4: Eu já sei que não coloquei nomes nos personagens novamente, mas a razão é que esse conto é mais curto que os demais. Portanto, não me massacrem nos comentários.

Nota 5: Acho que estou colocando notas demais.

Nota 6: Melhor eu parar por aqui.

39 comentários :

  1. Muito bom , como sempre Arthur!
    Foi menor, mas mesmo assim você passa uma simplicidade quando escreve que é maravilhosa :)
    Não conhecia a música e já vou procurar um pouco mais sobre ela .
    PS. Achei super criativo o título ^^
    Beijos!
    http://livros-com-pipoca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Toquei o player que você colocou bem na hora que ele ligou o rádio e colocou o CD, adiantei a música para ler a parte final. Gostei demais!
    > Simples e doce :)
    http://zuttokawaii.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Muito obrigado pelos elogios, Lí e Gabriela!
    Recomendo muito Franz Ferdinand, Lídia. Talvez eu faça um Discografia sobre eles...
    Gabi, o problema do player é esse remix que estragou a música, principalmente o final. Mas que bom que auxiliou sua leitura :D
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  4. Oi Arthur!

    Gostei bastante, apesar de não ser grande fã de contos. Sempre acho que fica faltando algo mais, que tudo poderia se estender um pouco além, para descobrir onde tudo terminaria depois do desfecho.
    Ao mesmo tempo, no entanto, sou fã de leituras rápidas e práticas e a sua, sem dúvida, foi assim. Fiquei ansiosa para descobrir logo o desfecho, embora tenha sentido falta de "algo" mais. Mas não se preocupe, está indo bem! Gostei bastante do texto!

    Que as ideias não cessem e tornem-se cada vez melhores! ;D
    Sucesso!

    xx

    Only The Strong Survive

    ResponderExcluir
  5. Olá Vê!
    Muito obrigado por gostar do texto e por comentar, eu tentei deixar esse conto mais sucinto, já que os anteriores estavam meio grandes. Te agradeço por dizer que sentiu falta de alguma coisa, afinal são com as críticas que crescemos e é com a prática que melhoramos.
    Mais uma vez, obrigado, e até mais!

    ResponderExcluir
  6. Como sempre, os contos com uma descrição incrível, que faz a gente se sentir dentro do papel. Menor, claro. Mas tão cativante como os demais! Por favor, escreva com mais frequência!? ;D

    ResponderExcluir
  7. Haha
    Vou tentar sim, Matheus!
    Muito obrigado pelos elogios, tentarei publicar uns dois contos por semana, espero que sejam bem aceitos. ^^
    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Adorei! Mesmo Arthur. Acho que os contos menores fluem melhor sabe? Apesar de ser uma leitura curta, ela traz algo pra gente, algo bom, nesse caso. Eu, por exemplo, sorri lendo o seu conto. De verdade. Adorei o entrosamento entre os dois personagens, e adorei também como você escreveu de uma forma simples e ao mesmo tempo, me prendeu lendo. Não é aquela coisa massante. É leve. Gostoso de ler.
    Nota 10! Me avise sempre que tiver um conto novo, ok? Rs.

    Beijooos!

    http://quantaaudacia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá Camila, obrigado!
    Pode deixar, vou sempre te atormentar com recados no skoob! Hahaha
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  10. Enquanto Lia ouvindo a música as cenas descristas no conto ficaram se passando na minha cabeça, no ritmo da música. Adoreiii hahaahaha
    Quero mais contos com trilha sonora ;)
    Parabéns!!!
    Beijos *:
    http://aculpaedosleitores.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Hahaha, muito obrigado por aprovar, Taty!
    Tenho mais um conto escrito com trilha sonora, em breve o publicarei aqui! (:
    Abraços!

    ResponderExcluir
  12. Olá arthur,! Achei bem interessante de verdade. A proposito, quero conversar com você sobre seus textos... Vou mandar um recadão para você no skoob, aguardo resposta.
    BEIJO
    (Blog: Acampamento literário)

    ResponderExcluir
  13. Olá Arthur, adorei seu conto. Curtinho e fascinante. Adorei, de verdade. Não sou fã de coisas românticas, mas me ganhou com esse conto. Sucesso! ;)

    (http://acampamentoliterario.blogspot.com.br/)

    ResponderExcluir
  14. Muito obrigado pela aprovação, Gabi e Evellin!
    Também não sou fã de "coisas românticas", mas acaba saindo isso quando eu coloco a cabeça pra funcionar. Haha.
    Grande abraço e sucesso para o Acampamento Literário!

    ResponderExcluir
  15. Perfeito Arthur, o que mais gosto nos seus textos é que falam de coisas que acontecem normalmente na nossa vida "num instante" e a gente não dá tanta atenção.
    Bjão, continue assim. Ok?
    http://nomeiodoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  16. Obrigado pelo comentário, Lais!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  17. Gostei muito desse conto também. Como a Lí disse lá em cima, você passa uma simplicidade maravilhosa quando escreve, e isso torna seus contos muito gostosos de ler. Continue assim! :)
    Beijos.

    http://livroscomchadastres.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  18. Muito obrigado, Gabi!
    Que bom que acha que eu consiga passar tal simplicidade (:
    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  19. Parece um quote de um livro de romance! Eu ameei! Quero o resto agora... haha
    Você escreve muito bem, parabéns! E escolheu um ótimo tema ainda. Esses pequenos momentos, espontâneos, são os mais especiais e os mais bonitos pra se lembrar. :)

    ResponderExcluir
  20. Obrigado, Petra!
    Realmente, são as pequenas coisas que marcam a vida, são esses momentos que ficam gravados na nossa memória.
    Abração!

    ResponderExcluir
  21. Gosto muito da simplicidade com que você escreve. Esse conto, mesmo sendo curto, nos deixa com uma vontade de "quero mais". Posso perceber que você está fazendo cada conto com um gênero diferente, e aquele cômico foi o mais legal até agora.

    ResponderExcluir
  22. Simples e muito bonitinho. A música ficou tocando aqui na minha cabeça hahahah É muito cativante mesmo, rs.
    Eu também escrevo e eu não gosto de dar nomes para personagens de textos e contos assim, não vejo problema nisso.

    http://sobrelivroseletras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  23. Oi Arthur!!
    Você foi indicado a uma tag lá no meu blog...
    http://livroscomchadastres.blogspot.com.br/2013/12/tag-retrospectiva-2013.html

    Beijos

    ResponderExcluir
  24. Dos seus contos até o momento, esse é meu favorito. Talvez por eu gostar muito da música, ou por ter o mesmo problema que a mulher em questão com massa de pão. Esse negócio simplesmente gruda demais!
    O conto ficou simples e leve, adorei mesmo.

    http://livrodeunicornios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  25. Gostei do seu conto. Simples, mas encantador :) Mas cuidado ao fazer contos curtos e acabar deixando-os rasos.
    Seguindo.
    Bjss
    sete-viidas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  26. Olha... eu curti seu conto, gosto de coisas simples, amo os momentos singulares da vida, nomes não são importantes, você está apresentando um conto, não uma saga!
    Eu achei massa a brincadeira da música ficou divertido, foi bem interessante mesmo! Tá de parabéns!!!! Leia meus contos românticos no http://priscilila.blogspot.com/ e diga o que acha... adoro que comente e critique também... Sucesso pra você!!!!!

    ResponderExcluir
  27. Você foi marcado numa tag lá no blog, vem ver! :D

    http://livroscomchadastres.blogspot.com.br/2013/12/tag-retrospectiva-2013.html

    ResponderExcluir
  28. Cara, adoreeeei. Sério, parabéns!
    Adorei a forma como você escreveu e a química existente entre os personagens. Simples e curto, mas envolvente, confesso que achei muito fofo e adorei a música de fundo haha.
    Abração,
    http://umviciadoemlivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  29. Nossa, fui ali tirar o último cochilo do ano e quando voltei haviam mais 8 comentários! Muito obrigado a todos!
    É muito bacana ver vocês já indicando quais são seus contos favoritos até o momento.
    Agradeço a todos vocês,
    Feliz 2014 e grande abraço!

    ResponderExcluir
  30. Olá passei de novo pra dizer que te indiquei para uma tag
    http://priscilila.blogspot.com.br/2014/01/tag-conhecendo-blogueira.html

    ResponderExcluir
  31. Oi! Você foi indicado a uma tag pelo meu blog, a tag é: retrospectiva 2013
    http://livroscomchadastres.blogspot.com.br/2013/12/tag-retrospectiva-2013.html
    Beijos

    ResponderExcluir
  32. Adorei! Eu gosto de ver o quanto de sentimento você coloca naquilo que escreve... Abraços e perdoe pela falta de tempo para comentar em tudo! Feliz 2014!

    Muita paz, saúde e sucesso!

    http://www.ladomalucadeser.blogspot.com

    ResponderExcluir
  33. Gostei muito do conto Arthur! =D
    E gosto do fato dos personagens não ter nomes. Muitos dos meus também não tem. Acho legal o anonimato. hahaha
    Muito sucesso! E quando puder, visita meu blog! Estou seguindo aqui, se puder seguir lá também =D

    http://lovecardwritter.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  34. Arrasou como sempre, Arthur!
    Simples, leve e ao mesmo tempo profundo.
    São esses pequenos momentos que são os melhores e mais importantes.
    E eu, sinceramente, adoro essa sua "particularidade" de não dar nome aos personagens!
    Ah! Adoro essa música do Franz Ferdinand! =)
    Beijos

    Aline
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    PS: Te indiquei para uma TAG, depois dá uma olhada lá no blog. =)

    ResponderExcluir
  35. Olá Arthur!!
    Puxa, gostei do conto, bem legal, parece com um daqueles momentos em que sonho ter mais vezes em minha vida, momentos simples porém divertidos. São os melhores pois acontecem ao lado de quem amamos! Bem criativo e nem precisa de nomes nos personagens, assim está bem legal!! Muito bom! Nota 5 pra você! ^^

    ResponderExcluir
  36. Eu adorei o conto Arthur.
    Mais uma vez você me surpreende com contos leves e envolventes.
    Parabéns e continue assim.

    http://fonte-da-leitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  37. Li ouvindo a musica e me amarrei no conto.
    Parabéns, esse conto é de prender qualquer um!

    ResponderExcluir
  38. Olá!
    Demorei um pouco pra vir, mas aqui estou pra ler seu pequeno conto.
    Que eu achei lindo, lindo, lindo! Acho que é bem assim que eu imagino meu futuro se eu me casar, com alguém que faça par comigo nas guitarras imaginárias, haha
    Eu adoro essa música, e o seu conto foi singelo e muito fofinho, você escreve muito bem!

    Beijos
    http://boombacereja.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  39. Haha,que casal fofo. Eu classificaria como crônica esse,mais do que aos outros, mas não vem ao caso. Gostei rs Você sabe conduzir uma história haha

    ResponderExcluir

DiscoDiVinil © 2012-2016 | Versão 3.0 | Todos os direitos reservados

Projetado e editado por Arthur Dias

Tecnologia do Blogger

http://i65.tinypic.com/j9ob41.png